no

Quais são os pilares do ESG?

Confira quais são os pilares do ESG para implementar em uma organização e como essa área tem se tornado cada vez mais importante para as empresas.

Cada vez mais se tornando parte de uma gestão estratégica dentro das empresas, o ESG têm sido alvo de atenção dos líderes corporativos em muitas empresas.

Se você ainda não leu nossos conteúdos anteriores sobre este assunto, aproveite para se atualizar e entender melhor o post de hoje:

Leia mais sobre:

Introdução

Investir em inovações tecnológicas, estratégias, ações e treinamentos visando aproveitar os recursos naturais de forma sustentável tem se mostrado muito promissor para as empresas, seja para melhora da sociedade, geração de mercados mais sustentáveis e até mesmo na reputação das marcas.

Várias mãos segurando o planeta terra - pilares do ESG
Fonte: Imagem de rawpixel.com no Freepik

Pilares do ESG

Segundo um relatório produzido pela KPMG e Amcham “Pilares Estratégicos do ESG: o que todo gestor precisa saber”, a partir de alguns encontros realizados com executivos de diferentes empresas no Brasil:

Os líderes corporativos, atentos às mudanças do mercado, estão conscientes da relevância dos pilares ESG para o sucesso dos negócios. A sigla em inglês para ambiental, social e governança (environmental, social and governance) desperta demandas no mercado como um todo.

Com base nas discussões, foram definidos 6 pilares do ESG:

1 – Business Transformation (Transformação de Negócio)

Este pilar trata da forma como os negócios são conduzidos, como:

  • estar atento ao perfil dos consumidores em relação ao alinhamento socioambiental;
  • adotar inovação, tecnologia e mudanças culturais;
  • se adequar às novas tendências com velocidade.

Como por exemplo, pode-se citar o setor agrícola investindo em agricultura de precisão e programas como Agricultura de Baixo Carbono, ou mesmo sistemas integrados de produção, utilizando biotecnologia, boas práticas agrícolas, defensivos e fertilizantes de última geração.

Essa mudança se deu principalmente pela alta demanda por alimentos, fibras, combustível, remédios, cosméticos e outros insumos da sociedade moderna, que se não produzidos de forma sustentável, não irá conseguir atender a demanda da sociedade sem destruir o meio ambiente.

2 – Monetização

Todas as ações ESG exigem investimentos e ganhos ou perdas monetárias, de forma que é um assunto extremamente abordado por acionistas e investidores.

É um assunto tão frequente que inclusive há especialistas que acreditam que talvez seja necessário incluir a letra “F” na sigla, referente ao Financeiro.

Visto que é uma das maiores – senão a maior – preocupação das empresas o Financeiro, abordar este tema aliado ao ESG permite que as empresas o tratem com mais seriedade.

É preciso que as empresas entendam como o ESG impacta na receita e no capital de giro, reduz custos, contribui para a redução de causas trabalhistas e autuações ambientais.

Porém, no momento, ainda não existem metodologias muito claras para mensurar esses valores.

3 – Asseguração

Contratar uma empresa de auditoria independente e especializada em ESG para emitir um relatório de asseguração em ESG permite aumentar o grau de confiança dos stakeholders.

Neste relatório, devem estar contidas informações como iniciativas tomadas, métricas, ações, resultados e diagnósticos. Com isso, é possível enxergar de forma mais clara se as ações tomadas estão realmente gerando resultados para a empresa.

4 – Rastreabilidade

A rastreabilidade envolve o controle da cadeia de suprimentos, ou seja, entender a origem dos insumos, garantir processos efetivos e sustentáveis na produção e garantir a qualidade do produto final entregue aos consumidores.

Dentre as ações, o principal envolve a gestão de fornecedores, avaliando preservação da natureza, capacidade de geolocalização, medidas acerca de trabalho escravo, insumos e matérias-primas utilizados e entre outros.

5 – Economia circular

A economia circular trata de criar produtos e serviços que saiam da indústria e depois retornem à ela sem o seu descarte no meio ambiente.

Envolvido com o pilar anterior da rastreabilidade, é preciso conseguir controlar a cadeia de produção, de forma a coletar os resíduos.

É um processo custoso e complicado, pois envolve a participação de vários atores, inclusive a conscientização dos consumidores, que muitas vezes desejam receber algo em troca por isso.

6 – Governança

É uma das letras da sigla ESG, a governança é um pilar essencial, visto que as empresas não têm como obter resultados positivos com o ESG com lideranças descomprometidas, sem propósito e sem ética.

Dentro deste âmbito, entram inclusive as remunerações das lideranças, as políticas anticorrupção, transparência financeira e contábil, inclusão e diversidade dos cargos e ntre outros.

Com isso, ficam estabelecidos os 6 pilares do ESG que as empresas precisam levar em conta ao elaborar os planos de ação.

Entendendo que o ESG traz a sustentabilidade ambiental, social e de governança no centro das decisões das empresas, é preciso conhecer os seus pilares e incluí-lo no planejamento estratégico para que haja uma efetiva transformação.

E você, já sabe se sua empresa implementa os pilares do ESG?

Continue nos acompanhando aqui no Ecocard!

Relatório

O que você acha?

Avatar

Escrito por Blocs

Descubra um mundo de conteúdos e anúncios cativantes no nosso Portal. Explore uma variedade de informações valiosas e descubra oportunidades únicas para divulgar o seu negócio. Aproveite o poder do nosso Portal de Conteúdos e Anúncios e alcance novos públicos de forma eficiente e envolvente.

alergênicos alimentares em escolas

Controle de alergênicos alimentares em escolas

Como o Instagram é hackeado?

Como o Instagram é hackeado?